Neste período em que estamos ficando em casa, é fácil perder de vista os hábitos saudáveis. Exercícios, alimentação equilibrada, terapia e outras práticas importantes para o corpo e a mente acabam esquecidos em meio ao turbilhão de informações neste novo contexto. Que tal resgatar o cuidado com você mesmo e aprender coisas diferentes, típicas de outras nações?

Quais são os hábitos saudáveis em outros países?

Hábitos saudáveis para o corpo e a mente

Yoga do riso – Índia

Mulher praticando yoga do riso

O yoga já é uma prática bastante conhecida no Brasil, e muitas pessoas estão mantendo o hábito de praticá-lo mesmo com as academias e estúdios fechados. Mas você conhece o yoga do riso? Este conceito foi criado por um médico indiano e mistura exercícios do yoga com técnicas de respiração e riso. A ideia é melhorar não apenas o corpo, mas também a mente e o sentimento de felicidade.

Tai chi – China

Mulher praticando tai chi ao ar livre

Já a China ensina um hábito saudável diferente: o tai chi, considerado uma “meditação em movimento”. Seus exercícios lentos e gentis contribuem para o fortalecimento e resistência do corpo e a melhora da postura e da flexibilidade, além de expandir a consciência do corpo e auxiliar com estresse e ansiedade.

Meditação – Diversos países asiáticos

Meditação em casa

A meditação é uma prática vinda da Ásia. Muito associada ao budismo, ela na verdade surgiu muito antes dele. Embora algumas formas de meditação já existissem antes disso, foram os hindus que fundamentaram as técnicas mais conhecidas. Hoje em dia, é possível encontrar guias de meditação, aplicativos e outros recursos para aprender alguns conceitos e testar quais funcionam melhor para você. Em destinos asiáticos, é possível fazer retiros de meditação, e alguns deles são silenciosos – ou seja, durante o tempo passado no templo escolhido, se pode falar!

Filosofia ubuntu – Diversos países africanos

Comunidade e união são as bases do ubuntu

A filosofia ubuntu é uma noção existente entre os falantes dos idiomas bantu, presentes principalmente nos países africanos que ficam ao sul da linha do Equador. Embora não haja uma tradução exata para a palavra, o sentido é “eu sou o que sou pelo que nós somos” ou “humanidade pelos outros”. O conceito ubuntu tem como essência o respeito, a solidariedade e a empatia, e fundamenta uma ética social. Seguir essa filosofia é lembrar como a união é importante e como cada uma de nossas ações afetam o próximo. Neste momento, nada mais saudável que pensar no coletivo na hora de tomar qualquer atitude!

Hábitos saudáveis de alimentação

Comer vegetais – Grécia

Prato da gastronomia grega com diversos vegetais, com vista para o Mar Mediterrâneo

Claro, muita gente come vegetais. Mas pesquisas mostram que os gregos são os que mais consomem esse tipo de alimento no mundo. Verduras e legumes são parte de seus hábitos alimentares diários, constantemente combinados com gorduras saudáveis. O resultado é uma ingestão regular de minerais e vitaminas, o que resulta em muita saúde.

Cultura “farm to table” – Estados Unidos

Alimentos orgânicos vindos diretos do produtor garantem alimentação mais fresca e saudável, segundo movimento "farm to table"

O movimento “farm to table” (da fazenda à mesa, em português) promove o consumo de alimentos produzidos localmente para que a alimentação seja mais fresca, natural e saudável e beneficie pequenos produtores, com menos intermediários no trajeto entre o local de produção e o local de consumo. Este movimento surgiu nos Estados Unidos e, embora restaurantes do mundo todo tenham aderido, o epicentro desta cultura é a Califórnia, principalmente a cidade de São Francisco. Você também pode tentar essa alimentação mais saudável comprando direto dos produtores em feiras, assinando cestas de produtos orgânicos ou mesmo plantando alguma coisa em casa, como cebolinha, salsa, manjericão e alecrim para usar como temperos.

Saborear a comida em pequenas porções – França

Hábitos franceses incluem comer em poucas porções

Não é à toa que a gastronomia francesa é famosa no mundo todo. Queijo, manteiga, pão, vinhos e doces deliciosos são amados pelos nativos desse país que, no entanto, tem um dos menores níveis de obesidade de toda a Europa. O segredo, aparentemente, é saborear o que quiser, mas em pequenas porções, além de comer devagar todas as refeições, permitindo-se sentir quando está cheio. Para os franceses, não é necessário cortar os doces da dieta. Basta comer só um pouquinho. Um bom hábito para adotar, não?