Viajar pelo mundo não significa só conhecer um lugar diferente, mas sim outros costumes que podem nos causar estranhamento. Essas diferenças culturais vêm de diferentes religiões que existem pelo mundo, histórias e culturas milenares que tiveram, como resultado, cidadãos com preocupações e comportamentos distintos dos brasileiros.

Por mais que algumas dessas diferenças nos espantem, não há nada melhor que mergulhar em uma cultura nova e sentir-se parte de outro lugar!

Japão

O Japão deixa qualquer ocidental fascinado. Os brasileiros esperam se deparar com um mundo totalmente novo, mas a extrema organização e limpeza das cidades japonesas sempre superam as expectativas dos turistas. Vai além de simplesmente não haver lixo no chão. As pessoas não comem nas ruas ou andando, não falam em transportes públicos (muito menos ao telefone), nem fumam em espaços públicos. Com isso, os ambientes são agradáveis para todos, inclusive para os visitantes.

Além disso, ao andar pelas ruas japonesas, sempre se vê pessoas utilizando máscaras – mesmo antes da pandemia do coronavírus. Isso é feito com o intuito de não contaminar os outros, mas não significa que estejam infectadas com algo grave. Basta uma gripe ou resfriado para que o japonês utilize a máscara.

Vietnã e Camboja

Também na Ásia, os turistas ficam assombrados com o trânsito do Vietnã e do Camboja. Em ambos destinos, as grandes cidades são bastante caóticas, isto é: é preciso ter muita paciência para andar a pé, principalmente para atravessar as ruas. Além do mais, as motocicletas são extremamente populares entre vietnamitas e cambojanos. Por isso, os viajantes não apenas veem muitas delas circulando, mas podem se deparar com cenas como várias pessoas em cima de uma única moto, além de motoristas lendo jornais, comendo e até dormindo sobre os veículos.

China

A China, por si só, já oferece muitas diferenças culturais para seus viajantes. Mas quem visita vários destinos dentro do país pode estranhar seus horários. Apesar de sua grande extensão territorial, o governo chinês utiliza apenas um fuso horário, 11 horas à frente do horário de Brasília. Parece prático, não? Mas isso também significa, em outras palavras, que, enquanto amanhece às 5h da manhã em Xangai, a luz do dia só chega às 7h em Lhasa, no Tibete. Por sua vez, a cidade tibetana vê o sol se pôr em torno das 21h, duas horas depois que a noite já caiu em Xangai.

Austrália

Ao contrário do que você pode estar pensando depois dos exemplos anteriores, não é só a Ásia que conta com diferenças culturais surpreendentes. Na Austrália, por exemplo, é comum ver pessoas descalças. Não, isso não acontece só na praia. Se, no Brasil, paulistas e cariocas discutem se é socialmente aceito ir a um shopping calçando chinelo de dedo, a Austrália já decidiu há muito tempo que os sapatos não são necessários em lugar nenhum, se essa for a sua vontade. Shoppings, cafés, aeroportos – não há limites!

Marrocos e Egito

Nestes países com influências árabes, por sua vez, a pechincha é um hábito de todos os comerciantes dos souks. Os brasileiros também adoram um bom desconto, e são conhecidos ao redor do mundo por isso. Mas os vendedores do Marrocos e do Egito não querem apenas lucrar mais. Aliás, aceitar o preço inicial do produto, que geralmente é jogado às alturas, não vai deixar os vendedores contentes. O que lhes traz alegria mesmo é a negociação até chegarem a um acordo.

Irã e Turquia

No Irã e na Turquia, a surpresa acontece no banheiro. Embora muitos hotéis tenham banheiros equipados como no Ocidente, outros estabelecimentos têm o toalete padrão do país: em forma de latrina no chão!

África do Sul

Se os turistas quiserem aprender algumas palavras ou expressões no idioma da África do Sul, haverá um problema: qual deles? Isso porque o país reconhece onze línguas oficiais, como inglês, africâner e zulu. O próprio inglês pode ser ouvido com mais variações de sotaque do que se pode contar. Por fim, há muitos trabalhadores estrangeiros vivendo na África do Sul, ou seja: também é comum escutar francês, português e outras línguas africanas nas ruas.